O Programa de Doutorado Integrado em Zootecnia/PDIZ foi criado com o objetivo de resolver um dos maiores desafios para o desenvolvimento da região Nordeste, qual seja, a formação de recursos humanos altamente qualificados em nível de Pós-Graduação, com uma visão contextualizada dos problemas regionais e do estudo de modelos próprios de produção pecuária, através da geração de conhecimentos que levem à melhoria dos índices produtivos da região de forma sustentável. Considerando atender esta demanda e numa visão de maximizar a utilização das excelências dos recursos humanos dessa região, assim como otimizar os investimentos em infra-estrutura das instituições foi que, de forma inédita, as Universidades Federais do Ceará (UFC), da Paraíba (UFPB) e Rural de Pernambuco (UFRPE) e as Coordenações dos Programas de Pós-Graduação em Zootecnia, em nível de Mestrado, reuniram-se e apresentaram à CAPES uma Proposta de criação do Programa de Doutorado Integrado em Zootecnia (PDIZ), o qual foi aprovado em 1999.

O PDIZ iniciou as atividades letivas no ano de 2000, com a Coordenação Geral do Programa sob a responsabilidade da UFRPE. A cada quatro anos, de forma seqüencial, a Coordenação do PDIZ vem sendo transferida para uma das Universidades, de forma que todas participem administrativamente da condução do Programa, num sistema rotativo. Esse sistema concorre para um melhor entendimento do processo gerencial e das especificidades de funcionamento de um programa integrado, além de contribuir para um melhor compartilhamento das tomadas de decisão no que tange às melhorias administrativas e acadêmicas.

O PDIZ conta com três Áreas de Concentração (Produção animal, Nutrição animal e Forragicultura) e diversas Linhas de Pesquisa (Manejo e desempenho produtivo e reprodutivo animal, Avaliação da qualidade de produtos de origem animal, Sistemas de produção animal, Conservação de recursos genéticos, Avaliação genético-quantitativa de rebanhos, Exigências Nutricionais para Ruminantes e Não-Ruminantes, Avaliação de Alimentos, Sistemas de Alimentação, Avaliação e Manejo de Plantas Forrageiras, Produção e Conservação de Plantas Forrageiras, Produção e Melhoramento Animal, Abelhas e Polinização, Avaliação de Alimentos Alternativos e Aditivos Dietéticos). As linhas de pesquisa foram definidas com base em exaustivas discussões promovidas em oficinas de trabalho com a participação de todo o corpo docente das três unidades.
Anualmente, todo o corpo docente e discente do PDIZ reúne-se no SEMINÁRIO INTEGRADOR/UFRPE/UFC/UFPB, momento em que é discutido e estruturado o planejamento acadêmico para o ano seguinte. Além disso, há uma excepcional oportunidade de discussão e revisão dos projetos e linhas de pesquisa. Admitindo-se que as tecnologias de produção animal adequadas para o Nordeste Brasileiro estão sendo, efetivamente, geradas nos últimos anos, as pesquisas realizadas no âmbito do PDIZ tomam uma dimensão muito maior do que uma observação de primeira instância pode detectar.

Os esforços dos docentes para o crescimento do programa pode ser constatado por sua participação na elaboração de projetos no sentido de buscar recursos para o financiamento de suas pesquisas. É prática comum, durante a vigência dos editais, os grupos se reunirem para a troca de experiências para a elaboração de projetos que possam contribuir na consolidação das linhas de pesquisa. As parcerias com instituições nacionais e internacionais têm possibilitado um intercâmbio cada vez mais intenso de discentes e docentes, atividade esta que permite a obtenção de novos conhecimentos, sobretudo em novas metodologias de pesquisa e uso de equipamentos.

As três instituições participantes do PDIZ continuam investindo recursos oriundos do REUNI, CT-INFRA e outros programas do governo federal para a melhoria da infraestrutura de pesquisa.

Quanto à capacitação do corpo docente em nível de pós-doutorado, o PDIZ continua investindo nessa forma de atualização e simultânea interação com instituições de renome internacional. Os estágios têm sido realizados em diferentes países e em diferentes instituições o que permite uma vasta perspectiva de oportunidades de treinamento com destacados especialistas em várias áreas de conhecimento com demandas identificadas nas frequentes auto avaliações. Os estágios de pós-doutoramento vêm ocorrendo no próprio país, em países da Europa e na América do Norte, seja nos Estados Unidos da América ou no Canadá. Com isso, evita-se uma repetição de formação ao mesmo tempo em que o corpo docente consegue uma maior chance para inserção internacional, conhecimento de padrões de trabalho de pesquisa em diferentes escolas e intercâmbio com equipes de excelente nível de formação em pesquisa científica.

Vale ressaltar que os docentes do PDIZ vêm conquistando bolsas de produtividade do CNPq numa dimensão indicadora da expressiva evolução da qualidade técnica-científica. Dentre os docentes permanentes, o Programa já conta com vinte e um bolsistas de produtividade, sendo sete em nível 1. Essa situação é consequência de um trabalho bem conduzido e, ao mesmo tempo, causa de promoção de melhores chances de obtenção de aprovações de propostas de projetos em editais de agências de fomento da pesquisa científica.

Além de investimentos em infraestrutura e treinamento do corpo docente, o PDIZ tem apresentado uma política de constante aprimoramento de suas pesquisas e atividades de ensino, o que resulta em incremento da produção científica e maior inserção internacional por meio de convênios e publicações em periódicos de impacto elevado. Tal estratégia segue a proposta original do programa e insere o mesmo no contexto nacional como centro de excelência acadêmica e de geração de conhecimento científico e tecnologias apropriadas para uma pecuária sustentável.

No início deste triênio 2013-2015, o PDIZ realizou a atualização de credenciamento de docentes permanentes, promovendo-se importantes ajustes no quadro. Com os ajustes realizados e com os investimentos em inserção internacional e manutenção do nível de publicação, há uma justa expectativa de que, ao final deste triênio, o Programa possa aumentar o seu conceito, passando de quatro para cinco.

Objetivos

Objetivos (geral e específicos)

O Programa de Doutorado Integrado em Zootecnia (PDIZ) surgiu numa visão solidária e inédita, compartilhadas pelas Universidades Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), onde as Coordenações dos Programas de Pós-Graduação em Zootecnia, em nível de Mestrado, reuniram-se e apresentaram a CAPES uma Proposta para a sua criação, a qual foi aprovada em 1999, iniciando suas primeiras turmas no início de 2000.

Missão

A missão do Programa de Doutorado Integrado em Zootecnia (PDIZ) é formar recursos humanos altamente qualificados (docentes, pesquisadores e profissionais especializados na área de Zootecnia), com compromisso para solucionar problemas relacionados à pecuária brasileira, em especial a nordestina, de forma contextualizada, por meio de atividades de ciência e tecnologia que visem proporcionar a melhoria da qualidade de vida do homem do campo e a sustentabilidade do meio ambiente em que se insere a produção pecuária.

Objetivos

Alcançar, numa visão sustentável, a excelência no ensino de pós-graduação e formação de recursos humanos, maximizando os investimentos em infraestrutura das Instituições que o formam, consolidando o que há de melhor em conhecimento científico, especialmente na região Nordeste.

Evolução e Tendências

O PDIZ iniciou as atividades letivas no ano de 2000, tendo sido o primeiro programa de doutorado na região Nordeste. O PDIZ tem uma Coordenação Geral, que iniciou sob a responsabilidade da UFRPE. A cada quatro anos, de forma sequencial, a Coordenação do PDIZ vem sendo transferida para uma das Universidades, de forma que todas já participaram administrativamente da condução do Programa, em sistema rotativo. Esse sistema concorre para um melhor entendimento do processo gerencial e das especificidades de funcionamento de um programa integrado, além de contribuir para um melhor compartilhamento das tomadas de decisão no que tange às melhorias administrativas e acadêmicas, bem como para melhorar a integração do programa, dos pesquisadores e das instituições participantes.